Carlos Lula garante mais de R$ 350 milhões para cirurgias eletivas

 

“Solicitei ao Ministério da Saúde revisão do financiamento para as cirurgias eletivas no SUS e ficou garantido aproximadamente R$ 350 milhões da União para avançarmos nestes procedimentos,” escreveu o secretário da Saúde do Maranhão, Carlos Lula, nas redes sociais nesta quarta-feira (29).

Carlos Lula relembrou a interrupção das cirurgias eletivas, aquelas não urgentes submetidas a agendamento, durante a pandemia da Covid-19 em todos os estados. A expectativa do secretário, que também é presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), é que o recurso permita a realização de mutirões de cirurgias no país.

“Uma boa notícia para quem espera, uma boa notícia para nós que defendemos o SUS como direito de todos!”, tuitou.

No Maranhão, a Secretaria de Saúde do Estado retornou com as cirurgias eletivas no mês de junho. Para outubro e novembro já foram anunciadas mil cirurgias – independente do recurso federal – que devem ser agendadas pelo site do Procon (https://bityli.com/gCjo6y.)

Maranhão não tem registro de doença da urina preta

Artigo do vereador Paulo Victor no Jornal Pequeno

Como representante do povo que vai além de fiscalizar, propor leis, estar nos bairros, tenho o dever de desmistificar informações falsas que circulam na internet, principalmente nesse momento de grave crise econômica. A verdade é: não temos casos da doença urina preta no Maranhão.

De acordo com o Ministério da Saúde, a doença de Half, conhecida como “urina preta”, devido a um dos sintomas da enfermidade, é um problema causado por uma toxina que pode ser encontrada em peixes e crustáceos — os cientistas não sabem se a substância é produzida devido à maneira como a carne é armazenada ou se ela vem de algas consumidas pelos animais.

A urina fica com a coloração escura, provoca dores musculares, insuficiência renal, entre duas e 24 horas após o consumo do alimento. Nos casos mais graves, é estabelecido um quadro chamado rabdomiólise, doença que destrói as fibras que compõem os músculos.

Após vários registros suspeitos, análises estão sendo realizadas em cinco estados brasileiros: Amazonas, Bahia, Ceará, Pará e São Paulo. Entretanto, circulam boatos de que há casos confirmados no Maranhão, onde sequer existe alguma notificação.

O resultado do alarme falso, claro, acabou comprometendo a venda do pescado em São Luís e em grande parte do estado. Consequentemente, piscicultores, pescadores, feirantes, ou seja, trabalhadores que lutam dia a dia pelo seu e o sustento da família, agora se encontram em uma situação delicada por conta de notícias inverídicas, que desinformam, plantadas por pessoas irresponsáveis e criminosas.

Aproveito para parabenizar o governo do Estado que, mesmo sem a ocorrência de nenhum episódio da doença em território maranhense, rapidamente realizou procedimentos técnicos, por meio da vigilância sanitária, com intuito de analisar a qualidade do nosso pescado.

O secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca, Sérgio Delmiro, já se manifestou e confirmou a inexistência de casos da doença no estado e informou que o governo estadual segue monitorando casos suspeitos em estados vizinhos para antecipar as ações com maior eficiência em prol da segurança alimentar da população e da cadeia produtiva do pescado.

Vale destacar que o pescado proveniente de empreendimentos que promovam boas práticas de manejo e manipulação de pescado, tanto na produção quanto na sua comercialização, reduzem as chances de se tornarem veículos contaminantes que causem prejuízo à saúde humana.

Todos deveríamos estar irmanados em bem informar, em repassar apenas informação verdadeira, bem checada e produzida por profissionais competentes, com intuito de prestar serviço honesto para esclarecer a população, principalmente aqueles que têm menos acesso. Pesquise e informe-se corretamente para não correr risco de divulgar boatos. Com união e cidadania, vamos superar crises e fazer prevalecer o que é verdade.

Em entrevista, Paulo Victor fala de mandato coletivo na Presidência da Câmara

O vereador Paulo Victor (PCdoB) esteve, nesta segunda-feira (27), no programa Bom Dia Mirante, participando do quadro Bastidores, apresentado pelo jornalista Clóvis Cabalau. Em pauta, a Presidência da Câmara Municipal de São Luís, projetos de lei, atuação nos bairros e o Plano Diretor.

Sobre a Presidência, o parlamentar destacou que busca fazer um mandato compartilhado com base no Coletivo Nós.

“O nosso sistema [Câmara] é presidencialista, e a gente vem mostrando um cenário diferente, um cenário que a gente pode fazer um mandato inclusive coletivo. Eu tenho como referência o mandato do Coletivo Nós, do PT, na Câmara Municipal de São Luís, que surpreendeu não só a mim, mas a cidade e também os outros vereadores. Uma das pautas minhas como candidato à Presidência é que a gente descentralize o poder e coloque realmente na mão dos vereadores para decidirmos pautas em conjunto o melhor caminho para a Câmara”, ressaltou.

O vereador também deixou claro que caminha ao lado do vice-governador Carlos Brandão (PSDB).

“E eu tenho a grande honra e satisfação em ter o apoio do vice-governador Carlos Brandão, que vem fazendo um papel político muito importante aqui na nossa cidade, conversando com todas as lideranças do Maranhão, e a gente tem uma boa conversa e um bom alinhamento”, disse.

Cabalau destacou ainda dois projetos de lei do parlamentar que tramitam na Casa: o Parada Segura (24/21) e o Creche Noturna (159/21).

“Tive como referência uma creche em tempo integral que o governo do Estado entregou em nossa cidade de São Luís, mesmo não sendo obrigação constitucional, já que o ensino fundamental e creche ficam com o poder municipal. E em São Paulo e no Rio de Janeiro já têm leis aprovadas para que existam creches noturnas. Isso porque 30% da população têm um trabalho noturno e não tem onde deixar suas crianças”, afirmou.

O parlamentar destacou ações do Governo na erudição. “Em nossa cidade, 40% do ensino fundamental é através do terceiro setor, que são associações, as escolinhas comunitárias e também o governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Educação, com o secretário Felipe Camarão, começou a fazer parcerias com escola comunitárias. E isso é um incentivo para que o município de São Luís tome tal medida e consiga acompanhar esse ritmo”, pontuou.

Outro tema em questão foi o Plano Diretor, e o parlamentar alertou sobre a importância de se conscientizar as pessoas para que conheçam e participem desse debate com os poderes Executivo e Legislativo.

“A gente precisa conscientizar a população do que é o Plano Diretor. A população cobra saúde, educação, segurança pública, mas antes disso tudo vem o Plano Diretor de cada cidade, que é a organização, é o projeto como a cidade vai crescer”, alertou.

Paulo Victor participa do quadro “Bastidores” com o jornalista Clóvis Cavalau.

Lobão Filho e Paulinha Lobão comemoram aniversário da Rádio Nova FM 93.1

Rádio Nova FM 93.1 celebra três anos no mercado maranhense. Programação foi prestigiada por Lobão Filho e Paulinha Lobão junto à equipe e colaboradores.

Fé, esperança e caridade. Três pilares importantes da mensagem cristã foram destacados pelo empresário Lobão Filho durante o ato ecumênico que marcou o início da programação da celebração dos 03 anos da Rádio Nova FM 93.1.
Na manhã desta sexta-feira (24), colaboradores, parceiros e funcionários se reuniram na emissora com missa celebrada pelo padre Robério, seguida de café da manhã. Os ouvintes da 93.1 puderam acompanhar através de transmissão simultânea, ao vivo.

Durante a comemoração da aniversário da Nova, o ex-senador e empresário Lobão Filho, destacou a prosperidade da emissora em curto espaço de tempo; e através da leitura da Bíblia em Coríntios 13, falou sobre a importância da fé, esperança e caridade nesse momento tão importante em que atravessamos nessa pandemia. “Temos que ser tolerantes uns com os outros, honrar a sagrada família e procurar fazer a diferença no trabalho e na dedicação em busca dos nossos sonhos”, completou.

“A Rádio Nova FM é um sucesso. Os maranhenses e o Brasil têm acesso a um conteúdo de qualidade. Isso sempre foi e será a marca da Rádio. Afinal, nossos ouvintes merecem o melhor”, disse.

Direcionada para Comunicação de Massa, a Nova FM que é administrada pela empresária, locutora, apresentadora e jornalista Paulinha Lobão, se consolidou na preferência do ouvinte, pela prestação de serviço, informação, cultura e entretenimento na rotina da população.

Segundo Paulinha Lobão, o sucesso é resultado de um conjunto de fatores, como por exemplo, um afinado trabalho de equipe.

“O sucesso da Rádio se deve ao trabalho em grupo. Temos uma equipe alinhada e que trabalha com tanto amor e carinho. Estamos integrados num corpo só. A Nova é uma emissora completa. É a Rádio do Maranhão, do Brasil e do Planeta”, disse.

A festa finalizou com o Pocket Show da Banda Os Clones do Brasil.

PRATICIDADE DA NOVA

A praticidade de acesso também se tornou um diferencial da Nova FM. O ouvinte pode acompanhar a programação da rádio pela internet, através da plataforma (Radiosnet) ou pelo aplicativo da emissora disponível gratuitamente na Apple Store, para dispositivos IOS e na PLAY STORE para dispositivos Android.
Siga @novafmslz.

 

Carlos Lula anuncia reforma do hospital municipal de Humberto de Campos

No município de Humberto de Campos, o secretário de Estado da Saúde do Maranhão, Carlos Lula, reuniu-se nesta terça-feira (21) com o prefeito Luís Fernando Santos e a população da região. A audiência pública serviu para debater sobre as ações e serviços de saúde.

“Avançamos em muitos aspectos em relação aos serviços de saúde no município de Humberto de Campos, como o início da reforma do hospital municipal e ampliação da equipe médica para reforçar o atendimento de urgência e emergência dos humbertoense. Por isso a importância do diálogo direto com os gestores municipais e a população para melhor compreender essas demandas e adotar medidas eficazes”, disse o secretário Carlos Lula.

O prefeito de Humberto de Campos, Luís Fernando Santos, relatou o empenho do secretário de saúde do Maranhão na melhoria da assistência em saúde da população do município e região. “O Carlos Lula sempre foi um secretário que se mostrou a disposição do município de Humberto de Campos. Levando as demandas do município a ele sobre as questões da saúde, que é um anseio muito grande da nossa população humbertoense, posso afirmar que é uma das prioridades em questão da saúde, e ele abraçou a nossa causa que é de melhorar a saúde do município”, destacou.

A audiência pública, realizada no município de Humberto de Campos, também contou com a participação do presidente da Câmara Municipal, o vereador Luís Augusto Lopes.

Com maioria na Câmera, Paulo Victor cresce e fortalece Caslos Brandão em São Luís

Com maioria na Câmera, Paulo Victor cresce e fortalece Caslos Brandão em São Luís

Com o encontro desta segunda-feira (20), o vereador Paulo Victor já reuniu 15 parlamentares para diálogo com o vice-governador Carlos Brandão. Movimentação que mostra o crescimento do parlamentar na eleição da Câmara e, consequentemente, fortalece ainda mais Brandão, que já vem se viabilizando para a disputa do governo.

Entre os presentes, estiveram
Concita Pinto; Antonio Garcez; Domingos Paz; Edson Gaguinho; Umbelino Junior; Fátima Araújo; Coletivo Nós; Thyago Freitas; Andrey Monteiro; Marquinhos; representando Marcial Lima, o chefe de gabinete, José Luís; e o próprio Paulo Victor, totalizando 12.

Em outro momento, Paulo Victor reuniu 11 vereadores em almoço com deputados e Brandão, que contou com os parlamentares Zeca Medeiros, Astro de Ogum e Beto Castro, nomes que não estiveram presentes na reunião mais recente, mas que seguem no mesmo campo. Beto, por exemplo, é aliado de primeira hora de Paulo Victor, inclusive já fez declarações públicas sobre seu apoio ao postulante a presidente.

Brandão tem um forte aliado na Câmara, dedicado para que mais nomes façam adesão ao projeto de continuação do governo Flávio Dino.

Movimentação que envolve muita disponibilidade e abrir mão até mesmo do seu mandato em prol do colega parlamentar, no sentido de dar voz e condições para que trabalhe e garanta ações efetivas nas comunidades.

Com maioria na Câmera, Paulo Victor cresce e fortalece Caslos Brandão em São Luís

Ação civil pública obriga a Prefeitura de São Luís a vacinar a população após denúncia feita pelo Coletivo Nós.

 

Atendendo a denúncia feita pelo Coletivo Nós (PT), a Defensoria Pública do Estado do Maranhão (DPE/MA) ajuizou uma ação civil pública com o objetivo de obrigar a Prefeitura de São Luís a vacinar todas as pessoas que procurarem os postos de vacinação do município, independentemente do local que tenham tomado a primeira dose. A ação foi protocolada na Vara de Interesses Difusos e Coletivos, com pedido de Tutela Antecipada (liminar), assinada pelos defensores públicos Cosmo Sobral da Silva e Vinícius Goulart, ambos do Núcleo de Defesa da Saúde, Pessoa com Deficiência e Idoso.

Ação civil pública obriga a Prefeitura de São Luís a vacinar a população após denúncia feita pelo Coletivo Nós

“O SUS é um sistema unificado e a vacinação é uma prioridade para combatermos o avanço do Coronavírus no país. A Prefeitura está impedindo que a população complete seu ciclo de imunização, em especial aos que tomaram a primeira dose contra a Covid-19 em unidades de vacinação geridas pelo governo estadual. A saúde pública não deve ser tratada como moeda de troca ou de promoção política. As pessoas não podem ser impedidas de tomar a segunda dose em nenhuma cidade do nosso país. O que preconiza a lei e a resolução do Ministério da Saúde é exatamente que a aplicação da segunda dose deve ser garantida independente da unidade federativa do município em que a primeira dose foi realizada, garantindo, assim o esquema vacinal de toda a população brasileira”, enfatizou o co-vereador do Coletivo Nós, Jhonatan Soares.

Segundo o co-vereador, em casos de excepcionalidade, o Estado deverá enviar relatório ao Ministério da Saúde com as informações necessárias para reanálise da distribuição. “A maioria das pessoas mal tem o dinheiro do transporte para tomar a vacina e, quando chegam, recebem a informação de que não podem ser imunizadas. Todas essas pessoas que são barradas vão a outro local para tomar a segunda dose? Muitas delas não. A prefeitura precisa reconhecer a universalidade do SUS e o direito de todas as pessoas de tomar a segunda dose da vacina, independentemente de onde elas tomaram a primeira. O que a Prefeitura de São Luís está fazendo é crime e é grave. E isso pode custar a vida das pessoas”, completou.

O valor da causa é no valor de R$ 500 mil, sendo acrescido de multa diária de R$ 100 mil caso a Prefeitura descumpra a determinação. O processo determina que o município de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde – SEMUS seja obrigado a cumprir a orientação do Ministério da Saúde e aplicar a segunda dose da vacina contra o Coronavírus em todas as pessoas que procurarem os postos de vacinação da rede municipal desta capital, ainda que o paciente tenha recebido a primeira dose em unidade de saúde de outro município ou por meio de campanha da rede de saúde estadual, sob pena de multa diária a ser fixada pelo Juízo.

Ação Civil Pública

A Ação frisa a grave denúncia de que o município de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde – SEMUS, determinou que seus agentes públicos “não apliquem a segunda dose (D2) da vacina contra o novo Coronavírus em pessoas que receberam a primeira dose (D1) em outro município ou em outro Estado da Federação”.

O texto diz que isso acontece especialmente nos casos em que o indivíduo foi vacinado pela equipe da Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão – SES, nos chamados ‘Arraial da Vacinação’, promovido pela SES em municípios da região metropolitana da Ilha e também no interior do Estado, visando dinamizar a aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid-19. De acordo com a divulgação dos números de vacinados no ‘Arraial da Vacinação’, em uma única ação na Cidade Olímpica, o Governo do Maranhão vacinou mais de 11 mil pessoas.

Em anexo, a ação traz notícias, áudios, vídeos e fotos de denúncias feitas por pessoas em Redes Sociais, aos parlamentares do Coletivo Nós e à outros órgãos públicos, relatando que tomaram a primeira dose em mutirão promovido pela SES, mas que ao chegar a data de receber a segunda dose, buscam posto de vacinação do município de São Luís e são informados de que não podem ser vacinados com a segunda dose na capital maranhense porque “só pode receber a D2 em São Luís aquela pessoa que recebeu a D1 por equipe da SEMUS e tem essa informação anotada na sua Carteirinha de Vacinação”, mesmo a pessoa morando em São Luís, e quem recebeu em outro município.

Direito à saúde

O documento destaca ainda que a vacinação contra o Coronavírus na cidade de São Luís tem sido anunciada com o ritmo intenso, no entanto a Prefeitura tem impedido o acesso da população à segunda dose para completar o esquema vacinal. Segundo a Defensoria, esta conduta da SEMUS contraria, frontalmente, a orientação do Ministério da Saúde, instituída pelos Informes Técnicos números 41, 42, 43, 44, 45, 46, 47 e 48, elaborados pela Secretaria Extraordinária de Enfrentamento a Covid-19, em cujo item “orientações adicionais” constam a seguinte observação:

“ATENÇÃO: A aplicação da Dose 2 deve ser garantida independente da UF ou Município em que a Dose 1 foi realizada, garantindo assim o esquema vacinal de toda a população brasileira. Em casos de excepcionalidade, o Estado deverá enviar relatório ao Ministério da Saúde com as informações necessárias para reanálise da distribuição”.

Desta maneira, a prática de negar a segunda dose da vacinação aos indivíduos que tomaram a primeira dose em outro município ou estado, além de contrariar a diretriz expressa nos informes técnicos da Secretaria Extraordinária de Enfrentamento a Covid-19 do Ministério da Saúde acima mencionados, também atenta contra princípios constitucionais sensíveis que servem de fundamentos do Sistema Único de Saúde, dentre eles o princípio da hierarquia e do atendimento integral à saúde, especialmente porque os imunizantes e seus insumos são adquiridos com recursos do Governo Federal, cabendo à instância municipal apenas operacionalizar a aplicação das vacinas.

A Ação também ressalta que “o Sistema Único de Saúde (SUS), composto pela União, Estados e Municípios, visa manter a integralidade da assistência à saúde, seja individual ou coletiva, devendo atender aos que dela necessitem em qualquer grau de complexidade, de modo que, restando comprovado o acometimento do indivíduo ou de um grupo por determinada moléstia, necessitando, pois, de tratamento, este deverá ser fornecido pelo SUS, de modo a atender ao princípio maior, que é a garantia à vida digna”.

O direito à saúde é um Direito Humano e Constitucional de todo indivíduo. O SUS é de responsabilidade conjunta da União, Estados-membros e Municípios. Todas essas entidades têm o dever de garantir o acesso ao tratamento e insumos especiais para pessoas desprovidas de recursos financeiros.

A DPE lembra que a demora do processo vacinal pode agravar os riscos de morte por Covid-19 e aumentar a distância entre a 1ª e a 2ª dose, que pode impedir o resultado útil esperado com o ciclo completo de imunização. O Brasil é o atual epicentro da pandemia e vive em uma situação de emergência de saúde, com decreto de calamidade pública no Estado do Maranhão que torna a situação ainda mais urgente.

Ação civil pública obriga a Prefeitura de São Luís a vacinar a população após denúncia feita pelo Coletivo Nós.

Carlos Lula destina ambulância para o município de Cururupu

O secretário de estado da Saúde do Maranhão, Carlos Lula, destinou nesta segunda-feira (20) uma ambulância equipada para o município de Cururupu.

Para o reforço no transporte sanitário dos pacientes, a ambulância conta com prancha, maca, umidificador, cadeira de rodas, cilindro e bala de transporte para oxigênio.

Os municípios maranhenses passaram a ter uma nova realidade com as novas ambulâncias atuando no atendimento de urgência e emergência. Soma-se a isso a entrega de cerca de 345 ambulâncias na gestão do governador Flávio Dino e do secretário Carlos Lula.

“Além de investimentos na expansão da rede hospitalar, o programa estadual de entrega de ambulâncias promove a requalificação do transporte sanitário do Estado. Esse comprometimento com a saúde pública exige ações reais para o bem cuidar da população maranhense”, disse o secretário Carlos Lula.

Escola Acolher promove Feira do Empreendedor neste sábado dia 18

*Escola Acolher promove Feira do Empreendedor neste sábado dia 18*

Alinhada a grandes desafios globais das sociedades contemporâneas, a OPEE é comprometida em oferecer soluções focadas no autoconhecimento, no empreendedorismo, na educação financeira voltada ao consumo consciente, na inteligência emocional alinhada aos novos caminhos da neuroeducação e nos métodos de estudo para a disciplina necessária ao sucesso pessoal e coletivo. Neste sábado dia 18 acontece a Feira do Empreendedor 2021 em todas às unidades da Escola Acolher no Cohafurma. Turu e Anil.
O foco na escolha profissional, capaz de evitar a enorme evasão universitária e nos índices de descontentamento com o trabalho, na construção da empregabilidade de forma proativa e na aproximação de famílias e escola.
Com o intuito de proporcionar aos nossos educandos aprendizagens significativas e conclusão aos projetos das metodologias OPEE, a escola Acolher promoverá a FEIRA DO EMPREENDEDOR 2021 – “O comportamento empreendedor- um saber essencial”. O projeto de Empreendedorismo e projeto de vida incentiva a vivenciar situações relativas à condução de um negócio, bem como desenvolver habilidades necessárias que competem a um empreendedor a perceber como lidar com o dinheiro que, afinal, faz parte do nosso dia a dia.
Com o objetivo de propiciar aos nossos alunos o contato inicial com as etapas da educação financeira (Diagnosticar, Sonhar, Orçar, Poupar) que auxiliam a compreensão do uso consciente do dinheiro e despertam atitudes de participação e colaboração para vida em sociedade (Aprender a Ser, Aprender a Ter, Aprender a Fazer e Aprender a Aprender), cada turma criou sua microempresa.

Vereador é contra o crescimento profissional de funcionários públicos em Bacabeira

O vereador de primeiro mandato Huck Pires (PSC), tem sido duramente criticado em toda a cidade de Bacabeira, sobre seu discurso feito na última quinta-feira (16), durante a sessão na Câmara de Vereadores.

Eleito pela primeira vez, Huck sempre tenta chamar a atenção mesmo tentando menosprezar alguns servidores públicos municipais.

Em seu discurso pobre de informações, Huck garantiu que “Quem é AOSD tem que ser AOSD, quem é guarda tem que ser guarda, quem é porteiro, tem que ser porteiro”, tentando assim, menosprezar alguns funcionários que tiveram seus cargos elevados na atual gestão em Bacabeira.

Mas perdido que cego em tiroteio, o vereador tenta a todo custo se promover em todas as sessões, tentando até “humilhar” alguns servidores, gerando revolta em vários grupos de WhatsApp pela lamentável atitude do parlamentar.

Mais uma vez, Pires mostra seu despreparo para está naquela Casa Legislativa, e mostra que tenta apenas se beneficiar dos cargos públicos em que ele e seu esposo exercem.